fechar× Entre em contato 71 3242-1084 / 3491-0710

Colapso na estrutura do prédio

SAIBA COMO EVITAR PROBLEMAS ESTRUTURAIS NO CONDOMÍNIO

O Edifício Andrea, localizado no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, desabou no dia 15 de outubro de 2019. No entanto, até o momento, as causas da tragédia que matou nove pessoas não foram esclarecidas. A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), por meio do Núcleo de Perícia e Engenharia Legal e Meio Ambiente (Nupelm), revelou que “ainda não é possível estabelecer um prazo para a conclusão do laudo” que deve apontar os motivos da queda. Mas, como esse acidente poderia ter sido evitado? O que fazer para a estrutura do prédio não entrar em colapso? 

O prédio, onde residiam 11 famílias, tinha começado a passar por reparos estruturais um dia antes da queda, segundo moradores relataram em depoimento à Polícia Civil. Um inquérito foi instaurado no mesmo dia do ocorrido e ficou a cargo do 4º Distrito Policial, no Bairro Pio XII. Nas oitivas, um dos sobreviventes do desabamento afirmou ter sentido o prédio “chacoalhar” por três vezes antes de desmoronar. Outro morador resgatado disse que, momentos antes do desmoronamento, viu que havia “acabado de cair” a estrutura de concreto que envolvia as ferragens do pilar abaixo da varanda.

Essa situação chama atenção para um tema de extrema importância nos condomínios: inspeção predial. “A inspeção predial é preventiva e diminui risco de acidentes prediais, auxilia no direcionamento de investimentos na edificação e nas adequações do plano de manutenção. O trabalho de inspeção predial considera a edificação como o corpo humano e, assim, como em um check-up médico, avalia cada parte ou elemento construtivo”, disse Luis Edmundo Campos, engenheiro, professor e presidente do CREA-BA, na 10ª edição da Assembleia Show, que aconteceu na Casa do Comércio em Salvador. 

A inspeção predial traz uma série de vantagens. “O síndico poderá obter uma visão ampla e detalhada do estado de conservação e manutenção da edificação, conhecendo os pontos críticos a serem corrigidos. O laudo de inspeção predial apresenta prioridades. Isso proporciona ao síndico subsídios à tomada de decisão, a fim de garantir uma manutenção mais eficiente e menos onerosa”, informou Luis Edmundo Campos.

Com a inspeção, o condomínio saberá o estado de conservação da edificação, e quais os reparos mais importantes. “Além de auxiliar na gestão condominial, atestando e verificando a evolução do estado de conservação do imóvel, contribuindo para a boa manutenção”, reforçou Luis. 

“A INSPEÇÃO PREDIAL É PREVENTIVA
E DIMINUI RISCO DE ACIDENTES PREDIAIS”

Luis Edmundo Prado

Engenheiro, professor e presidente do CREA-BA

Outro fator importante, que precisa de atenção para evitar abalos na estrutura do condomínio, é observar a Norma de Reformas da ABNT (NBR 16.280/2015), que estabelece as etapas de obras de reformas e lista dos requisitos para antes, durante e depois de uma reforma em um prédio ou em uma unidade. “É responsabilidade do condomínio ou responsável legal pela unidade o conteúdo da documentação fornecida ao síndico e a execução de obra realizada dentro da unidade”, disse Thais Daltro, advogada especialista em Direito Imobiliário.

De acordo com o presidente do CREA, o proprietário ou morador deve contratar um profissional habilitado para assumir a responsabilidade técnica pelas alterações executadas e por cumprir o plano de reforma, além de todas as regras internas que possam impactar no bem-estar e segurança das pessoas, dos sistemas e da edificação como um todo. 

“Ao síndico cabe cobrar e checar se toda documentação foi entregue, além de guardar os documentos e observar se a execução segue o que foi previamente combinado. O síndico pode contar com o apoio e consultoria de empresas e profissionais habilitados e com expertise nos temas”, alertou a advogada Thais Daltro. 

“O SÍNDICO PODE CONTAR COM O APOIO
E CONSULTORIA DE EMPRESAS E PROFISSIONAIS
HABILITADOS E COM EXPERTISE NOS TEMAS”

Thais Daltro

Advogada

Além disso, os síndicos podem contar com o CREA para auxiliar nas informações a respeito dos serviços necessários para a manutenção preventiva e quais os profissionais atuam em cada um deles. “O CREA fiscaliza o exercício ético e legal das profissões nas áreas de Engenharia, Agronomia e Geociências para garantir a presença de profissionais habilitados e proteger à sociedade!, finalizou o presidente Luis.

Fissuras na edificação

A engenheira Fabiana Carqueija, da empresa A5 Engenharia de Projetos, chamou atenção para quando o síndico deve se preocupar com as rachaduras. “Fissura na edificação é igual febre em criança, precisa se preocupar com ela e investigar. Toda fissura é preocupante, não importa o tamanho. Não é porque ela não está tão aberta que o problema não é grave. Então, se aparecer uma fissura na estrutura, você precisa chamar um engenheiro civil com especialização em estrutura”, disse Fabiana. 
Para Fabiana, a fissura é um sintoma, e um profissional qualificado e especializado precisa ser chamado para avaliar. “O tipo de fissura em cada estrutura de edificação é diferente, a fissura é só um sintoma, não é simplesmente jogar massa que está resolvido. Um profissional precisa ir ao local para fazer um diagnóstico e tratar de acordo com o resultado”, ressalta a engenheira. 

Todo síndico precisa saber qual é o tipo de estrutura do condomínio que administra. “Você como síndico precisa ter documentos. Se o prédio for antigo, pega as plantas (mesmo que mofadas), digitaliza tudo e guarda. Você vai precisar ter as plantas para que seja feita a análise no local. E se não tiver as plantas, chama um profissional capacitado para fazer o cadastro”, reforçou Fabiana, que mostrou os tipos de fissuras mais comuns na região metropolitana de Salvador. 

“FISSURA NA EDIFICAÇÃO É IGUAL FEBRE EM CRIANÇA,
PRECISA SE PREOCUPAR COM ELA E INVESTIGAR”

Fabiana Carqueija

Engenheira empresa A5 Engenharia de Projetos

De acordo com a engenheira, o síndico precisa compreender qual o tipo de estrutura o prédio tem, para permitir demolição de paredes por exemplo, pois, se o prédio for em alvenaria estrutural, uma simples demolição de parede poderia levar o prédio ao colapso. “Chame o profissional para fazer um laudo, ele irá te indicar todo o material necessário e realizará o orçamento. Cada empresa pode te propor um procedimento diferente, e você termina contratando por preço. O ideal é você contratar por conhecimento técnico, então, antes de contratar uma obra, contrate um laudo com projeto e quantitativo”, alertou Fabiana.



 
  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...