15/05/2013

Em busca de proteção

Por Carla Farias

Falta de segurança dá oportunidade à assaltantes invadirem condomínios em Salvador
 
“Em três dias, dois prédios assaltados”. Notícias como esta foram muito comuns neste ano em Salvador.  Proteger o condomínio não é uma tarefa simples, mas com a atitude do síndico, colaboração de moradores, orientação aos funcionários e equipamentos eficientes de segurança, essa ação pode ser evitada. Atualmente, o diferencial dos condomínios é a segurança, e o que fazer para voltar a ter tranquilidade e manter os bandidos do lado de fora do portão?
 
A violência só cresce e os marginais procuram oportunidades, de formas diferenciadas, para praticar assaltos. Os bairros Pituba, Costa Azul, Itaigara, Graça, Barra e Ondina foram os alvos deste ano, mas isso não significa que nos outros locais o mesmo não pode acontecer. É importante se prevenir antes que ocorra um incidente. Contratar uma empresa especializada em segurança é fundamental, mas não basta simplesmente instalar equipamentos, é preciso contratar um serviço de qualidade e eficiente, treinar constantemente os funcionários e conscientizar os moradores da importância de respeitar as regras de segurança.
 
Muitos locais já se preveniam dessas invasões, antes da veiculação de notícias na mídia. "Há muitos anos nós instalamos sensores de presença nos muros. Assim, qualquer movimentação, como alguém tentando pular ou escalar, dispara os sensores. Os porteiros ficam com rádios em conexão direta com uma empresa especializada em segurança, e assim que existe qualquer disparo dos sensores, essa comunicação é feita imediatamente. Temos, também, outros protocolos com entrada de pessoas estranhas, uso dos portões e entregas de pedidos,  além de estarmos sempre orientando os funcionários e moradores sobre o comportamento para mantermos a segurança do nosso prédio", informou Mara Regis, síndica do Mansão Mozart.  
 
Muitos síndicos e administradores têm procurado empresas especializadas para melhorar a segurança dos condomínios. O Grupo Escolta VIP, por exemplo, criado em 2000, oferece segurança eletrônica, patrimonial, sistema de monitoramento 24 horas e de alarme, administração de condomínio e terceirização de mão de obra, e informou que a busca pelo serviço aumentou 40% nos últimos meses. “Temos recebido muitos pedidos e é fundamental prezar por um sistema de segurança de qualidade em cada condomínio. Realizamos o planejamento respeitando às particularidades. Primeiro fazemos uma análise, identificamos os equipamentos necessários, e adaptamos o sistema de segurança à estrutura do condomínio”, disse Marcos Santana, diretor co­mercial da empresa.  
 
Elísio Pereira Silva, gerente comercial da Amplavisão, empresa que atua há 12 anos no mercado com projeto, instalação e manutenção de sistema de circuito fechado de TV, alarme perimetral,  automatização de portões, controle de acesso, sistema de segurança, etc, informa que nos últimos meses aumentou a procura por instalação do circuito fechado de TV, mas que isso não é o suficiente. “Hoje, é preciso que síndicos, moradores e administradores entendam que é necessário contratar empresas com experiência comprovada no mercado para investir em novos sistemas como o controle de acesso de pessoal, que vai armazenar os dados cadastrais com foto dos visitantes e prestadores de serviços; e instalação do sistema de controle de acesso de veículos, com ele o porteiro não correrá o risco de abrir o portão para uma pessoa fingindo ser morador do prédio. Além disso, é importante investir na qualificação dos funcionários, pois não adianta ter um sistema de segurança de alta tecnologia se os funcionários não estão capa­citados para operar e agir quando ne­cessário”, disse Elísio.
 
Mesmo com investimentos é im­portante que funcionários e moradores estejam bem treinados e com informações impres­cindíveis para o bom funcionamento do sistema que foi implantado. "É importante que os moradores saibam detalhes do sistema de segurança, para que nos momentos de perigo saibam como agir e não dificultem a ação da polícia ou da segurança contratada. Instalamos alarme com sensores de movimento e intrusão, cercas elétricas, circuitos de câmera, controle de entrada, monitoramento a distancia e sistema de pânico, mas consideramos as instruções aos porteiros e moradores como peça fundamental para que o sistema funcione perfeitamente. Damos treinamento e quando julgamos necessário realizamos a reciclagem", afirmou Santana.
 
Dicas de especialistas

Polícia Militar vai capacitar porteiros 
 
A Policia Militar da Bahia, além de realizar os procedimentos comuns nos bairros, como rondas, policiamento ostensivo a pé, blitz e operações, está desenvolvendo, através da 13ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM)/Pituba e do Conselho Comunitário de Segurança, um projeto que visa intensificar as ações com o intuito de coibir assaltos em condomínios. 
 
O objetivo principal é diminuir a vulnerabilidade destes condomínios, principalmente no que diz respeito ao acesso de pessoas estranhas. Este projeto encontra-se agora em fase de pesquisa e análise de manuais e cartilhas com normas de segurança utilizados em outros estados, a exemplo de São Paulo e Ceará. “Estas ações estão sendo deliberadas em reuniões realizadas entre o Comando da Unidade e os integrantes do Conselho Comunitário de Segurança. E assim, que estiverem concluídas serão disponibilizadas aos porteiros, através de reuniões. Iremos instruir como eles devem proceder com visitantes, pessoas estranhas e até com os moradores", informou o Capitão Marcelo Pitta. 

Dicas da Polícia Militar



 

Tags:   

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710