09/04/2018

Segurança em condomínio: um alerta para os síndicos

Por: Nelson Uzêda

No dia 25 de março, aconteceu um fatal episódio em Kemerovo, na Sibéria. Um incêndio em um shopping matou 64 pessoas e as causas não foram definidas. Há suspeita de curto circuito, mas o despreparo dos funcionários para auxiliar na evacuação da área chamou atenção das testemunhas.  

A questão de segurança estava comprometida com diversas irregularidades no sistema e total negligência nos padrões. As portas de emergência do cinema estavam totalmente bloqueadas, o que contribuiu para mortes por asfixia; o sistema de alarme foi desligado por um funcionário, assim que soube do início do incêndio; e a equipe foi inoperante e não orientou as pessoas para evacuarem do local. Segundo testemunhas, houve tumulto, e os funcionários, que deveriam auxiliar na fuga, saíram correndo sem orientar as pessoas e prestar apoio no combate ao incêndio.  

Existe a necessidade de orientar todos os funcionários sobre a segurança contra incêndio e áreas de risco, conforme previsto em lei e no Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Afinal, a proteção contra incêndio deve ser entendida como o conjunto de medidas para detecção, controle, contenção ou extinção, com treinamento de uma equipe preparada para dar orientações e por em prática as primeiras medidas para combate e controle de pânico. Além de promover o treinamento periódico para brigadistas e todos que ocupam o edifício. 

A premissa da segurança é proteger a vida das pessoas, o patrimônio e áreas de risco, isso em caso de incêndio ou outro dano previsto na sua atividade operacional. Não esquecendo que temos que dar as condições de acesso para as operações do Corpo de Bombeiros e outros órgãos de apoio e quanto mais ágil for a ação, mais fácil será controlá-lo e além disso, serão bem maiores as chances dos ocupantes sobreviverem. 

Insira na sua apólice, além das garantias básicas, as coberturas adicionais de tumultos, responsabilidade civil operações do condomínio, do síndico e se possível com a garantia de danos morais, lembrando que na ocorrência de um evento, possivelmente resultará em responsabilidade civil do condomínio, que terá que indenizar pelos danos sofridos. O seguro repara as perdas e mantém as finanças dos condomínios equilibradas. 
Para efetivar um contrato de seguro condominial, recomendamos o apoio de um corretor de seguro para elaborar uma boa apólice. 



Nelson Uzêda é professor da Escola Nacional de Seguros, diretor dos Sindicatos das Seguradoras e do Clube dos Seguradores da Bahia , além de executivo da Cia Excelsior de Seguros.
 

Tags: Apólice  Segurança contra incêndio  Seguro  

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710