19/03/2015

Quem fiscaliza o trabalho do piscineiro?

Por: Carla Brayner

Estamos em plena temporada de verão, temperaturas altas, férias, e um dos principais lazeres é o banho de piscina. Manhã e tarde, e muitas vezes à noite, as piscinas estão sendo usadas. Aí o cuidado com a qualidade da água tem que ser redobrado.  Mas, será que a água está bem tratada, livre de qualquer contaminante químico ou de bactérias e vírus? A maior parte das vezes não sabemos porque o trabalho do piscineiro não é fiscalizado.

Há alguns anos atrás, em visita a um grande clube da cidade, oferecendo produtos para piscina, encaminharam-me ao piscineiro que decidia tudo para a piscina, desde a compra, quantidades, análises, etc. No primeiro pedido verifiquei que tinha feito uma compra exagerada de algicida a base de cobre. Curioso, dei uma olhada na piscina e verifiquei que a água estava num azul excepcionalmente bonito e cristalino. Notei também que as paredes da piscina estavam manchadas de azul.  O piscineiro informou-me que o gasto de algicida era aquele mesmo. Ao voltar ao escritório e analisar o consumo de algicida constatei que a quantidade estava dez vezes acima do recomendado. O cobre é um produto tóxico e cumulativo no organismo. O piscineiro estava intoxicando os usuários.

Frequentemente recebo informações de usuários que se queixam que a sunga ou o biquíni ficaram brancos, que os olhos estão ardendo ou que a pele está coçando. Todas estas situações são sintomas de uma água mal tratada. E quem controla o trabalho do piscineiro? Quem utiliza o serviço de empresas especializadas, existem os supervisores destas empresas, mas quando a mão de obra é avulsa?

O responsável para fiscalizar o trabalho do piscineiro deveria ser o administrador ou o encarregado de manutenção do condomínio, com conhecimentos básicos e kit teste em mãos para analisar cloro, ph e alcalinidade, os três parâmetros que garantem a balneabilidade da piscina.

A alegria e o prazer de um banho de piscina não podem ser ofuscados por uma água mal tratada e potencialmente perigosa para o usuário.



 

Tags: Piscina  Piscineiro  Tratamento de piscina  

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710